Morango, ameixa, uva

Criança tem umas crenças engraçadas e eu acho que a mais comum e divertida delas, relacionada à comida, é que tudo que for vermelho é mais gostoso. Deve ter alguma explicação na cromoterapia, por ser uma cor quente, aconchegante, sei lá. O fato é que suco vermelho, bala vermelha, picolé vermelho, geléia vermelha, é sempre melhor. Óbvio, qualquer criança sabe disso. Em casa, isso era muito mais do que uma crença. Era lei. Até o achocolatado tinha sabor de morango (mesmo que isso pareça um contrassenso de termos). E, para o deleite meu e do meu irmão, na época lançaram um chocolate que vinha recheado. De morango!!! Não podia existir guloseima mais perfeita: chocolate e morango juntos.

O cardápio de frutas na casa da minha avó era sempre muito vasto, coisa de alemão que adora fruta tropical. E variava conforme a época do ano. Assim, variavam também os sabores das geléias que ela fazia. Sempre tinha vários potes de vidro vazios – de café, palmito e picles, lavados, esterilizados e guardados para o caso de ter uma safra muito boa de qualquer coisa que pudesse virar geléia.

geleia de morango

O cheiro pela casa era delicioso. Panelas enormes no fogão, fervendo frutas com açúcar, reduzindo o caldo e transformando a mistura num maravilhoso doce. Morangos, ameixas, uvas, damascos, siriguelas, mexericas, morgots, laranjas. Os sábados reservados para fazer geléia transformavam a cozinha da minha avó em uma minilinha de produção: lavar, cortar e cozinhar as frutas. Enquanto isso, ferver os potes de vidro e suas tampas, limpar com álcool e deixá-los prontinhos para colocar o doce.

E o truque, dizia ela, era deixar os vidros cheios e bem fechados, descansando no armário, pelo menos por 1 semana, para que a geléia “curtisse” seu sabor. Com toda esta produção, ela sempre abastecia o estoque da minha casa, mas, os potes das de laranja, siriguela, damasco, ficavam lá, intocados. Ou minha mãe comia ou eles estragavam, porque, para nós, claro, só existiam geléia de morango, ameixa, uva, ou de qualquer coisa, isso não importava, desde que fosse vermelha. Estas eram consumidas vorazmente: café-da-manhã, lanche da escola, lanche da tarde. Por isso, as panelas enormes no fogão – era preciso dar conta de tanto apetite pelos tons avermelhados.

Amarelo, nem pensar! Foi depois de adulta e com muita parcimônia que fui experimentar geléia de damasco. Que fica perfeita por cima de um queijo brie levemente quente, quase derretendo, acompanhada de torradas. Hummmm…

Geleia de morango

Receita de Geléia de Morango

1 kg de morangos limpos
1 kg de açúcar
1 limão ou laranja

Lave e pique os morangos, coloque na panela com o açúcar, em fogo baixo e deixe cozinhando até ficar com a consistência da geléia. Quando estiver pronto, esprema o limão ou a laranja para quebrar um pouco o doce.

Em tempos de restrição de açúcar, glúten, lactose, calorias, etc, adaptei um pouco a receita e fica uma delícia:

1 kg de morangos limpos
2 colheres de sopa de aceto balsâmico

Lave e pique os morangos, coloque na panela em fogo baixo e deixe cozinhando até ficar com a consistência da geléia. Experimente e se achar que não está doce o suficiente, acrescente sucralose em gotas. Quando estiver do seu gosto, coloque o aceto balsâmico e misture bem, deixando cozinhar mais 2 minutinhos.

O aceto quebra o doce da geléia e dá um sabor delicioso!

geleia de morango

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s