Giethoorn – Holanda

Conhecida como a Veneza do Norte, a vila de Giethoorn fica na província de Overijssel – a 120 km de Amsterdam e é um desses lugares que pararam no tempo, graças a deus! Não tem ruas para veículos automotores, você se desloca de bicicleta (claro, estamos na Holanda!), a pé ou… navegando.

A vila foi fundada em por volta de 1230, por fugitivos do mar Mediterrâneo, tem hoje 2620 habitantes e mais de 180 pontes. Ela entrou para o circuito turístico em 1958, quando apareceu em no filme Fanfare do diretor holandês Bert Haanstra. É apaixonante!

Giethoorn, Holland, the town with no roads

Giethoorn, Holland, the town with no roads

Giethoorn, Holland, the town with no roads

Giethoorn - Holanda

Giethoorn, Holland, the town with no roads

Giethoorn, Holland, the town with no roads

Fotos: dailymail.co.uk

Sabor da Holanda para quem adorou as fotos e ainda está no Brasil…

Anúncios

7 castelos para se hospedar

Se você está planejando viajar para a Europa, confira se algum destes castelos está no seu roteiro. Você pode se hospedar e sentir o gostinho da realeza. Conheça quais são e onde estão.

Ashford Castle - irelandAshford Castle – Irlanda – Sua ala mais antiga data de 1228. ashford.ie.

Castello di Ripa d'OrciaCastello di Ripa d’Orcia – Toscana – a 45 km de Siena – castelloripadorcia.com

Château de SalettesChâteau de Salettes – Cahuzac-sur-Vère – França – chateaudesalettes.com

Inverlochy CastleInverlochy Castle – nos pés da Ben Nevis, a montanha mais alta do Reino Unido – Escócia – inverlochycastlehotel.com

Pousada do CasteloPousada do Castelo – séc XV – Óbidos – Portugal – pousadasofportugal.com

Schoenburg CastleSchoenburg Castle – com vista para o rio Reno, fica em Oberwesel – Alemanha – hotel-schoenburg.com

Thornbury-CastleThornbury Castle – siga os passos de Henrique VIII e Ana Bolena – South Gloucestershire – Inglaterra – thornburycastle.co.uk

Temporada de decoração

Começa hoje a 42ª mostra Kips Bay Decorator Show House em Nova York.

Decoração Nova York

Desde 1973, decoradores consagrados de Manhattan transformam alguma residência luxuosa da cidade em uma elegante exposição de tendências, mobiliário, arte e tecnologia. O evento é extremamente importante pois, além de ter se transformado em uma espécie de “must-see” para profissionais e apaixonados por decoração, também angaria fundos polpudos para a assistência de menores carentes.

Não pude deixar de fazer a relação com a nossa Casa Cor. Quem tem mais de 37 ou 38 anos e já visitou esta exposição até os anos 90, deve lembrar que ela também teve um período em que a ideia era transformar uma residência que estivesse vazia, em um novo espaço decorado. Tanto era assim, que as casas escolhidas normalmente ficavam nos Jardins ou no Morumbi, bairros paulistanos que famosos por terem imóveis grandes e terrenos espaçosos. Os ambientes eram tematizados pensando na família que moraria lá e a visita era uma viagem para dentro de um universo completamente novo: aquilo poderia realmente ser uma casa funcional.

Se você estiver em Nova York entre 24 de maio de 11 de junho deste ano, não perca a oportunidade e conheça a Kips Bay Decorator Show House na The Arthur Sachs Mansion. 58 East 66th Street, entre a Park Ave e o Central Park.

As imagens são da mostra do ano passado.

Decoração Nova York

Decoração Nova York

Decoração Nova York

Edimburgo – a porta de entrada das highlands

Capital do país, Edimburgo tem o charme da arquitetura gótica e o bom humor escocês, o vento frio das terras do norte e calor de um bom whisky. Você pode andar pela cidade velha ou pelas ruas com lojas de grife na parte nova, e com certeza irá cruzar com alguns pontos imperdíveis da cidade.

10 dicas Edimburgo

1. Edimburgh Castle – Símbolo da cidade e da Escócia, o complexo foi construído sobre o Castle Rock, ponto mais alto do lugar. Há indicíos de que já em 1093 havia um castelo na Castle Rock, mas foi no reinado de David I (1142-53), que esse castelo se tornou uma fortaleza real com função de proteger a cidade e o rei. Visita obrigatória.

2. Royal Mile – Formada pelas ruas Castlehill, Lawnmarket, High Street e Canongate, esta é uma das principais ruas de Edimburgo, em volta da qual a cidade cresceu. Nela estão localizados, além de diversos restaurante, lojas e hotéis, o Castelo de Edimburgo, o Palácio Holyrood, a St Giles Cathedral, o Museum of Childhood e o Museu de Edimburgo.

3. Palace of Holyroodhouse – Em uma ponta da Royal Mile, o Castelo de Edimburgo. Na outra, lá embaixo, o Palácio Holyroodhouse. Um dos principais pontos turísticos, é residência da Rainha quando visita a cidade. O lugar foi fundado como monastério em 1128, nos séculos XV e XVIII foram feitas novas construções e reformas comandadas pelos reis da época.

4. Holyrood Park – Parque real que fica junto ao Palácio de Holyrood. Os jardins compõe uma enorme área verde, onde é possível caminhar, fazer piqueniques, observar a paisagem, admirar os lagos e as aves nativas.

5. Grassmarket – Localizada na parte antiga da cidade, esta grande praça tem hotéis, lojas, restaurantes com mesas ao ar livre, cafeterias, pubs e casas noturnas. Muito charmosa, ainda conserva sua arquitetura medieval

6. The Last Drop Pub – Situado na Grassmarket, este pub seria mais um não fosse um detalhe: seu nome. Last Drop era onde serviam o último gole para os condenados à forca, que ficava em frente ao bar, no meio da praça.

7. Greyfriars Bobby’s Bar – Este emblemático bar localizado em um edifício construído em 1722tem seu nome Greyfriars Bobby em homenagem a cachorro da raça Skye Terrier, que ficou conhecido no séc. XIX por ter passado 14 anos guardando o túmulo de seu dono (John Gray, vigilante noturno da polícia) até sua própria morte em 14 de Janeiro de 1872.

8. St Giles Cathedral – De arquitetura gótica, (1243) é considerada a igreja matriz do presbiterianismo e chama atenção entre os demais edifícios de Royal Mile.

9. H.M.Y. Britannia – Ancorado permanentemente como navio-museu, o antigo iate real da família real britânica, foi o 83º navio a servir a monarquia desde a coroação de Charles II em 1660. Transportou a família real em várias viagens oficias durante mais de 30 anos, desde 1953, quando foi inaugurado.

10. The Elephant House – Para se inspirar. Foi aqui que J.K. Rowling escreveu o primeiro livro de Harry Potter. Quem sabe um pint por lá não inspire você também?

Passeio em Londres

Turismo pé no chão, andando pela cidade, é a melhor forma de viver a experiência de um lugar novo (ou não). Andar e observar e estar na rua, junto com quem mora na cidade, quem vai e vem é sentir o ritmo e vivenciar uma cultura diferente. Por isso, enquanto estiver andando por Londres (além da Dulwich Gallery), coloque no seu caminho 10 atrações imperdíveis e emblemáticas da cidade:

Londres

1. London Eye – Inaugurada em 1999, é uma roda-gigante de observação, ela possibilita a vista total da cidade e sua velocidade é tão baixa que você pode subir e descer de cabines sem que ela pare. A volta completa dura 30 minutos.

2. Tower of London – É um monumento histórico situado no centro de Londres, na margem Norte do Tâmisa. Sua construção começou em 1078 como uma fortificação nos limites da cidade romana, Já foi residência real, sede da Casa da Moeda, local de execução e tortura e hoje abriga as Jóias da Coroa. Como é oficialmente um Palácio Real, tem Guarda permanente e troca da Guarda também.

3. Greenwich Park – Um antigo parque de caça, é um dos maiores espaços verdes no Sudeste da cidade. Além do Observatório de Greenwich, onde você pisa na linha que divide o tempo no mundo, o parque, a Queen’s House e o Canary Warf são caminhadas deliciosas. Aproveite o dia.

4. Madame Tussauds – O museu de cera mais famoso do mundo e o mais famoso da própria rede, é um passeio muito divertido. Você sabia que Marie Tussaud nasceu na França em 1761 e foi governanta do Dr. Philippe Curtius, um médico com talento em modelação da cera, que lhe ensinou essa arte. Começou sua carreira modelando em cera, máscaras de vítimas da Revolução Francesa. Mudou-se para a Inglaterra em 1835, fez uma mostra de seu trabalho na Baker Street perto do endereço do atual museu.

5. Camden Town – Principalmente conhecida por seus mercados, uma grande atração turística onde você encontra de tudo, incluindo moda, livros, comida, antiguidades, velharias, itens mais bizarros e um bairro super influenciado pela cena de vanguarda da música inglesa.

6. Windsor Castle – Residência real na cidade de Windsor, a 40 km a oeste de Londres, é um passeio para o dia todo. Construido no século XI é habitado por reis e rainhas desde então e é o castelo há mais tempo habitado na Europa. Atualmente é um ponto turístico popular, sedia várias visitas de estado, e ainda é a casa de fim de semana preferida da Rainha Elizabeth II.

7. Leicester Square – Se estivesse em Nova York, chamaria Times Square. A Leicester Square é um centro de vida noturna em Londres desde o século XIX. Charmosa, abriga bares, restaurantes, casas noturnas, teatros e cinemas.

8. Hyde Park – o maior parque de Londres e está aberto ao público desde 1637. Hoje em dia conta com restaurantes, cafés, banheiros públicos, um centro de aprendizado sobre natureza e a vida selvagem, passeios em carruagens, pedalinhos para o uso no lago Sinuoso e o aluguel de cadeiras reclináveis, além de ser endereço de vários shows de rock da cidade.

9. Houses of Parliament – Cartão postal mais famoso da cidade, fica situado na margem Norte do Rio Tamisa, no Borough da Cidade de Westminster, próximo de outros edifícios governamentais ao longo da Whitehall. Do jeito que conhecemos hoje, o edifício do Parlamento do Reino Unido existe desde 1834, depois que um incêndio destruiu o prédio anterior.

10. Westminster Abbey – A igreja mais importante de Londres, é famosa mundialmente por ser o local de coroação dos reis do Reino Unido. O primeiro local de culto construído neste terreno data de 616 e entre 1272 e 1760, todos os monarcas foram enterrados lá. Além deles, outras personalidades também descansam por lá, entre elas Charles Darwin, Oliver Cromwell e Isaac Newton.

Boa viagem!

Desafio Dulwich Gallery

No sul de Londres, a Dulwich Gallery lançou um desafio aos seus visitantes. Desde 10 de fevereiro, uma de suas obras expostas era falsificada.

Dulwich Gallery

A galeria encomendou de um estúdio de arte chinês uma reprodução de U$ 120 de uma obra do seu acervo, que ficou à mostra por 2 meses. A ideia foi do artista conceitual norte-americano Doug Fishbone, que substituiu 1 das 270 obras do museu. Segundo ele, a cultura chinesa, diferentemente da ocidental, não vê como problemática a réplica de artefatos culturais e artísticos (alguém tinha dúvida?).

O desafio fez sucesso: das 400 visitas diárias, o museu passou a receber 4.000.

E hoje foi o dia da revelação. A obra falsificada era do francês Jean-Honore Fragonard (séc XVIII).

Fragonard Dulwich Gallery

A obra da esquerda é a original. E para você, qual é o limite da réplica, da reprodução ou da pirataria?

Keukenhof – mais 1 mês para ver o jardim das tulipas

Todo ano, nos 2 primeiros meses da primavera, o parque das tulipas Keukenhof abre para o público. Para quem estiver em Amsterdam até o dia 17 de maio, vale a visita: o parque fica a 40 minutos da cidade (ônibus 858).

tulipas keukenhof

Todos os anos, os jardins de Keukenhof são decorados segundo um tema, que em 2015 homenageia o pintor holandês Vincent Van Gogh. Além das tulipas, rosas, hortências, bromélias e outras completam a exposição que também conta com passeios de bicicleta, barco e até sobrevôos pelas plantações próximas ao parque.

No dia 25 de abril acontece o tradicional cortejo de carros alegóricos cobertos por flores, que percorrem 40 quilômetros.

tulipas keukenhof

tulipas keukenhof