Morango, ameixa, uva

Criança tem umas crenças engraçadas e eu acho que a mais comum e divertida delas, relacionada à comida, é que tudo que for vermelho é mais gostoso. Deve ter alguma explicação na cromoterapia, por ser uma cor quente, aconchegante, sei lá. O fato é que suco vermelho, bala vermelha, picolé vermelho, geléia vermelha, é sempre melhor. Óbvio, qualquer criança sabe disso. Em casa, isso era muito mais do que uma crença. Era lei. Até o achocolatado tinha sabor de morango (mesmo que isso pareça um contrassenso de termos). E, para o deleite meu e do meu irmão, na época lançaram um chocolate que vinha recheado. De morango!!! Não podia existir guloseima mais perfeita: chocolate e morango juntos.

O cardápio de frutas na casa da minha avó era sempre muito vasto, coisa de alemão que adora fruta tropical. E variava conforme a época do ano. Assim, variavam também os sabores das geléias que ela fazia. Sempre tinha vários potes de vidro vazios – de café, palmito e picles, lavados, esterilizados e guardados para o caso de ter uma safra muito boa de qualquer coisa que pudesse virar geléia.

geleia de morango

O cheiro pela casa era delicioso. Panelas enormes no fogão, fervendo frutas com açúcar, reduzindo o caldo e transformando a mistura num maravilhoso doce. Morangos, ameixas, uvas, damascos, siriguelas, mexericas, morgots, laranjas. Os sábados reservados para fazer geléia transformavam a cozinha da minha avó em uma minilinha de produção: lavar, cortar e cozinhar as frutas. Enquanto isso, ferver os potes de vidro e suas tampas, limpar com álcool e deixá-los prontinhos para colocar o doce.

E o truque, dizia ela, era deixar os vidros cheios e bem fechados, descansando no armário, pelo menos por 1 semana, para que a geléia “curtisse” seu sabor. Com toda esta produção, ela sempre abastecia o estoque da minha casa, mas, os potes das de laranja, siriguela, damasco, ficavam lá, intocados. Ou minha mãe comia ou eles estragavam, porque, para nós, claro, só existiam geléia de morango, ameixa, uva, ou de qualquer coisa, isso não importava, desde que fosse vermelha. Estas eram consumidas vorazmente: café-da-manhã, lanche da escola, lanche da tarde. Por isso, as panelas enormes no fogão – era preciso dar conta de tanto apetite pelos tons avermelhados.

Amarelo, nem pensar! Foi depois de adulta e com muita parcimônia que fui experimentar geléia de damasco. Que fica perfeita por cima de um queijo brie levemente quente, quase derretendo, acompanhada de torradas. Hummmm…

Geleia de morango

Receita de Geléia de Morango

1 kg de morangos limpos
1 kg de açúcar
1 limão ou laranja

Lave e pique os morangos, coloque na panela com o açúcar, em fogo baixo e deixe cozinhando até ficar com a consistência da geléia. Quando estiver pronto, esprema o limão ou a laranja para quebrar um pouco o doce.

Em tempos de restrição de açúcar, glúten, lactose, calorias, etc, adaptei um pouco a receita e fica uma delícia:

1 kg de morangos limpos
2 colheres de sopa de aceto balsâmico

Lave e pique os morangos, coloque na panela em fogo baixo e deixe cozinhando até ficar com a consistência da geléia. Experimente e se achar que não está doce o suficiente, acrescente sucralose em gotas. Quando estiver do seu gosto, coloque o aceto balsâmico e misture bem, deixando cozinhar mais 2 minutinhos.

O aceto quebra o doce da geléia e dá um sabor delicioso!

geleia de morango

Pão e leite vinham de bicicleta

Minha lembrança mais antiga relacionada à comida é no portão da casa da minha avó. Um portão baixinho, de uma época em que São Paulo não precisava de tantas grades e muros. Nos finais de semana em que dormia na casa dela, lembro que logo cedo eu podia ir até o portão pegar os pãezinhos franceses, que vinham embrulhados em papel pardo, torcidinho nos cantos, e dois saquinhos de leite, deixados pelo entregador da padaria, que vinha de bicicleta.

Ah, os saquinhos de leite. Ela colocava-os em suportes de plástico, tipo porta-saco de leite, para que o líquido decantasse da nata, que ficava por cima, e com uma paciência quase monástica cortava a parte superior da embalagem, tirando cuidadosamente o creme com uma colher. Ai de quem chacoalhasse o porta-saco de leite!

Guardava, então, aquela iguaria em potinhos no congelador e, quando já tivesse acumulado o suficiente, batia tudo energicamente até que se transformasse na mais gostosa das manteigas, a caseira. Depois era dividir, novamente em potinhos, e presentear a família toda, que adorava o sabor clássico de uma boa manteiga.

Claro que o leite tinha que ser Tipo A, coisa que já nem existe mais. Mas, naquela época de inflação alta, o leite era classificado conforme o seu grau de diluição em água. Ninguém se preocupava com diets e lights ou ômega 3. Preço era o que importava. O Tipo A era o leite integral, bem forte e gorduroso e, por isso, mais caro; o Tipo B já era um pouco diluído em água e o Tipo C era o mais barato e o mais ralinho. Com este não se podia fazer manteiga, explicava minha avó com um ar muito sério, típico de quem conta um segredo importantíssimo.

E uma vez lembro que ela pegou os sagrados potinhos com nata, despejou-os na batedeira e pediu para que eu fizesse um creme chantilly. “Mas cuidado! Se bater muito vira manteiga.” Quanto era muito…? E o medo de errar o ponto da nata…!? Por mais que eu adore cozinhar, acho ótimo que hoje exista o creme certo para bater chantilly, porque vai que eu erre o ponto…

Manteiga caseira

Receita de Manteiga caseira

500 ml de creme de leite fresco

Coloque na batedeira, liquidificador ou processador e bata em velocidade média até virar um creme com a consistência da manteiga. Coe o soro que se forma e o que sobrar… pronto, é a manteiga!
Acrescente sal marinho moído se quiser salgá-la ou ervas frescas picadinhas (salsinha, ciboulette, orégano, dill), caso você prefira manteiga com ervas.

Manteiga Caseira

Mousse com brigadeiro

Duas sobremesas deliciosas juntas: brigadeiro e mousse de maracujá. A doçura do brigadeiro é quebrada pelo azedinho do maracujá e a combinação fica perfeita! Confira a receita:

brigadeiro e mousse

Ingredientes Brigadeiro
1 lata de leite condensado
1 colher de sopa cheia de manteiga
2 colheres de sopa cheias de chocolate em pó
1 caixinha de creme de leite

Modo de Preparo
Derreta a manteiga, misture o leite condensado e o chocolate, continue mexendo até que levante fervura e desprenda do fundo da panela. Desligue o fogo e misture vigorosamente o creme de leite. Deixe esfriar.

brigadeiro

Ingredientes Farofa
1 pacote de biscoito maizena triturado

Ingredientes Mousse de Maracujá
1 lata de creme de leite
1 lata de leite condensado
mesma medida de polpa de maracujá

Modo de Preparo
Misture todos os ingredientes no liquidificador e bata até ficar homogêneo.

Montagem
Em uma travessa, coloque o brigadeiro no fundo, por cima a farofa de biscoito e cubra com a mousse de maracujá. Leve à geladeira para que a mousse fique firme.

farofa doce

mousse de maracujá

Frango Xadrez

Frango Xadrez

Ingredientes
2 cebolas médias cortadas em cubos
2 dentes de alho esmagados
500 g de file de frango sem pele cortado em cubos
Sal a gosto
1 pimentão verde cortado em cubos
1 pimentão vermelho cortado em cubos
1 pimentão amarelo cortado em cubos
1/4 de xícara de molho shoyu ou shoyu light
3 colheres de sopa de amendoim torrado

Modo de preparo
Refogue a cebola e o alho. Acrescente o frango e o sal e deixe cozinhar, mexendo de vez em quando. Quando o frango estiver cozido, acrescente os pimentões e deixe cozinhando em fogo baixo por 4 minutos. Acrescente o shoyu e o amendoim. Deixe no fogo baixo mais 2 minutos.

Acompanhe com arroz branco ou macarrão de arroz.

Serve 4 porções.

Frango Xadrez

Batatas e cogumelos gratinados

Champignons e batatas gratinados

Ingredientes
3 batatas tamanho médio fatiadas
2 colheres de sopa de manteiga
250g de cogumelos frescos fatiados
queijo ralado para polvilhar

Modo de preparo
Preaqueça o forno a 220º.
Ferva as batatas com sal até que fiquem macias.
Enquanto isso, derreta a manteiga numa frigideira, junte os cogumelos e cozinhe, mexendo de vez em quando, até ficarem macios.
Escorra as batatas e misture na panela os cogumelos com o suco da frigideira. Misture e coloque tudo em uma vasilha para gratinar. Polvilhe o queijo ralado e leve ao forno até que esteja dourado.

Serve 4 porções

champignons

Sopa de abóbora

Delícia para esta noite fria e muito fácil de fazer!

Sopa de abóbora

Ingredientes
800g de abóbora cabochan picada
2 cebolas pequenas cortadas em 4
2 dentes de alho
1 bouquet de ervas frescas (salsinha, cebolinha, alecrin)
sal a gosto

Modo de fazer
Coloque todos os ingredientes em uma panela, cubra com água e deixe ferver até que a abóbora fique macia.
Separe o bouquet de ervas frescas e bata o restante dos ingredientes no liquidificador com um pouco da água do cozimento, até que fique na textura desejada. Mais espesso ou mais cremoso.
Se você gosta de creme de leite, pode adicionar uma caixinha e voltar com a sopa para o fogo até que levante fervura.

Para completar, croutons, torradinhas, uma colherada de cream cheese (se você não colocou o creme de leite) ou um punhado de queijo parmesão ralado e pronto.

Bom apetite!